14Novembro2019

NOTÍCIAS SAÚDE Uma em cada 3 mulheres sofreram violência no parto, diz estudo

emdiacomunicacao.vcjasaiunamidia

Uma em cada 3 mulheres sofreram violência no parto, diz estudo

A maior parte das vítimas de maus tratos eram mulheres de baixa renda

Uma-em-cada-3-mulheres-sofreram-violncia-no-parto-diz-estudo

Uma pesquisa apontou que um terço das mulheres que moram em países subdesenvolvidos sofrem diferentes tipos de maus tratos durante o trabalho de parto. Meghan Bohren, pesquisadora e professora universitária especialista em saúde da mulher, comandou a pesquisa em quatro diferentes países: Gana, Guiné, Mianmar e Nigéria.

Malefícios   >>    Noites mal dormidas podem causar obesidade e até modificar genes. Diz especialista

No Brasil, um estudo realizado em 2010 pela Fundação Perseu Abramo em parceria com o Serviço Social do Comércio (SESC), revelou que 1 em cada 4 mulheres já sofreram algum tipo de violência obstétrica.

Foram observadas gestantes a partir dos 15 anos de idade que deram à luz em doze unidades de saúde diferentes entre setembro de 2016 e janeiro de 2018. As análises foram feitas à partir da entrada das mulheres nos hospitais até 2 horas após a realização do parto. De acordo com os pesquisadores, os abusos físicos e verbais se iniciaram 30 minutos antes do nascimento dos bebês.

Das 2.672 mulheres entrevistadas e observadas, 75,1% não concordaram com a episiotomia (corte realizado entre a vagina e o ânus) e 13,4% não optaram pela cesárea, apesar de terem sido submetidas a tais procedimentos.

Lançamento   >>    Teste do bracinho em crianças a partir dos 3 anos poderá ser obrigatório no ES

Os estudos concluíram que a maior parte das vítimas desse abuso são jovens de baixa renda, com pouco acesso à educação. A falta de informação e instrução são alguns dos fatores que colaboram para a violência obstétrica, demonstrando a falta de apoio que muitas mulheres sofrem durante a gestação.

O que é violência obstétrica?

A violência obstétrica é a prática de procedimentos e condutas que desrespeitem e agridam a mulher na hora da gestação, parto, nascimento ou pós-parto. Na prática, se considera violência obstétrica os atos agressivos tanto de forma psicológica quanto física.

Lançamento   >>    SUS: 87 mil consultas serão oferecidas gratuitamente no estado

Entre os tipos de violência que as mulheres podem sofrer durante o parto, estão:

• Abuso físico (bater ou beliscar, por exemplo)

• Abuso sexual

• Abuso verbal (linguagem rude ou dura)

• Discriminação com base em idade, etnia, classe social ou condições médicas

• Não cumprimento dos padrões profissionais de cuidado (por exemplo, negligência durante o parto)

• Mau relacionamento entre a gestante e a equipe (falta de comunicação, falta de cuidado e retirada da autonomia)

• Más condições do sistema de saúde (falta de recursos).

Redação Em Dia


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Se achar algo que viole os TERMOS DE USO, denuncie. Leia as PERGUNTAS MAIS FREQUENTES para saber o que é impróprio ou ilegal. 

Siga-nos no FacebookTwitter e YouTube.

Convidamos você a fazer parte dos nossos canais nas redes sociais e navegar pelo nosso site de notícias Linhares Em Dia.

logo.sitelinharesemdia.rodape
Linhares Em Dia é Marca Registrada®
© Copyright Linhares EM DIA 2010 - 2019
Todos os direitos reservados. All rights reserved.
Informação com conteúdo e credibilidade.   Information with content and credibility.
Contato - Home - Geral - Polícia - Saúde - Esporte - Política - Entretenimento
Destaque - Filmes em Cartaz - Empregos|Cursos|Concursos - Falo Mesmo
Produtos e Serviços - Farmácias de Plantão