24Setembro2018

NOTÍCIAS POLÍTICA Senadores capixabas gastam mais de R$ 1 milhão em 2017 com cota parlamentar
whatsSap-do-portal-novo-numero

farmacias-de-plantao

Senadores capixabas gastam mais de R$ 1 milhão em 2017 com cota parlamentar

Mesmo ficando dois meses a menos no cargo, Ricardo Ferraço (PSDB) foi quem mais gastou durante o ano

Senadores-capixabas-gastam-mais-de-R-1-milho-em-2017-com-cota-parlamentar

Eleitos pela população para serem os representantes do Estado no Senado, os três senadores capixabas gastaram juntos mais de R$ 1 milhão em recursos públicos durante o ano de 2017.


Fique EM DIA com notícias relacionadas

Por 7 votos a 5, vereadores limitam poderes de Zanon sobre o Orçamento anual da prefeitura de Linhares em 2018

Governo anuncia investimento de R$ 1 bilhão e prevê mais de 60 ações para 2018


Divulgados pelo Portal da Transparência do Senado, os gastos estão divididos entre aluguel de imóveis para escritório político; contratação de serviços de apoio ao parlamentar; passagens aéreas, além de recursos para locomoção, hospedagem, alimentação e combustíveis; e não incluem o salário oferecido mensalmente a todos, no valor de R$ 33.763,00.

Mesmo ficando dois meses a menos no cargo, por conta da licença solicitada no início de novembro, Ricardo Ferraço (PSDB) foi quem mais gastou durante o ano: R$ 351.786,68. Desse valor, é possível destacar os gastos com "locomoção, hospedagem, alimentação, combustíveis" (R$ 88.584,44), contratação de serviços de apoio ao parlamentar (R$ 85.848,69) e com passagens aéreas (R$ 78.130,48).

O senador, que havia sido o mais econômico durante o ano de 2016, admitiu o aumento nos gastos e garantiu que já vem tomando medidas para reduzir os custos durante este ano. "Esse ano, de fato, o nosso custo esteve acima, mas eu já fiz uma reunião com minha equipe e para 2018 nós teremos uma redução sensível nos gastos. Sempre é possível economizar", frisou Ferraço.

Magno Malta

O senador do PR foi o segundo que mais gastou recursos da cota parlamentar em 2017, utilizando durante todo o ano R$ 331.921,90, sendo R$ 182 mil só com passagens aéreas.

Outros valores que valem ser enfatizados são os gastos com aluguel de imóveis para escritório polítco (R$ 53.005,30) e com serviços de correiros, onde o senador gastou R$ 23.353,90.

Através de sua assessoria, o senador respondeu apenas que "os gastos estão dentro do permitido pela lei e que mesmo sendo um período de intenso debate parlamentar e muitas viagens pela CPI dos Maus-tratos, o senador tem solicitado a sua equipe o máximo de economia".

Rose de Freitas

Dentre os três senadores, Rose de Freitas (MDB) foi a que menos gastou em 2017: 298.929,41. Os maiores gastos da parlamentar foram com passagens aéreas (R$ 117.029,71) e com a contratação de serviços de apoio ao parlamentar (R$ 81.968,30). Rose é ainda a única que não utilizou o benefício do imóvel funcional ou auxílio-moradia.

A assessoria da senadora foi procurada para comentar os gastos, mas não respondeu as demandas.

Sergio de Castro

Suplente de Ferraço, o empresário gastou em dois meses quase R$ 50 mil, média de gasto dos demais durante os meses.

Redação Portal Linhares Em Dia 


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Se achar algo que viole os TERMOS DE USO, denuncie. Leia as PERGUNTAS MAIS FREQUENTES para saber o que é impróprio ou ilegal. 

Curta a página do LINHARES EM DIA no Facebook e siga nosso perfil no Twitter