23Setembro2019

NOTÍCIAS GERAL Distribuidor de combustível conta com reforma para acabar com sonegação

emdiacomunicacao.vcjasaiunamidia

Distribuidor de combustível conta com reforma para acabar com sonegação

"Pela complexidade do assunto, não vai ser fácil, mas vai sair", disse Hélvio

Distribuidor-de-combustvel-conta-com-reforma-para-acabar-com-sonegao

A reforma tributária será a grande oportunidade para o setor de combustíveis resolver uma questão que somente em 2018 resultou em um prejuízo de R$ 7,2 bilhões para os cofres públicos: a sonegação e a inadimplência fiscal. Discurso que há décadas vem sendo defendido pela Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência (Plural, ex-Sindicom), a proposta de simplificar as 27 legislações que regem o setor poderá sair finalmente do papel, segundo o diretor de Planejamento Estratégico e Mercado da Plural, Hélvio Rebeschini.

Leia também  >>   Prefeito Guerino Zanon institui cinco polos de fruticultura em Linhares

Ele não prevê a aprovação da reforma tributária este ano, "pela complexidade do assunto", mas disse estar confiante que em algum momento a reforma será aprovada. "Não vai ser fácil, mas vai sair", confia.

Em estudo feito especialmente para a Plural pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), somente de sonegação com Imposto sobre Circulação de Mercadoria (ICMS), os Estados deixaram de ganhar R$ 5,3 bilhões por sonegação. "Se todo mundo pagasse, os Estados teriam recebido R$ 95,1 bilhões em ICMS no ano passado, mas receberam R$ 89,8 bilhões", informa o estudo inédito da FGV.

Nos cálculos da Plural, porém, mais R$ 1 bilhão foram sonegados também, em PIS/COFINS; R$ 500 milhões com sonegação interestadual; R$ 400 milhões com adulterações de combustíveis; e mais R$ 400 milhões de outras sonegações, o que chega ao valor total de R$ 7,2 bilhões.

"O etanol é o grande vilão dessa história, responsável por R$ 4,9 bilhões da sonegação do ano passado, porque além de tributos na refinaria paga tributos na distribuição. Quanto mais tributação, mais sonegação", explica Rebeschini.

Por este motivo, o pleito que vem sendo feito pela Plural junto ao Congresso é a implantação de um imposto único, que pode ser o Imposto sobre Valor Agregado (IVA) apoiado pelo atual governo, mas que principalmente incida apenas sobre a produção, e não também na distribuição.

Leia também  >>   Governo investe mais de R$ 5 milhões em máquinas, veículos e equipamentos para 31 municípios

"A reforma tributária é a melhor chance do setor para combater a sonegação, e a segunda grande mudança é caracterizar os devedores, diferenciar o bom pagador r mau pagador", explicou o diretor, que defende também a aprovação do Projeto de Lei Suplementar (PLS) 284/2017, que obrigaria os devedores do setor a depositar os tributos em juízo enquanto se discute o mérito da cobrança.

"Se conseguir tocar essas duas ferramentas, vai continuar tendo problema, mas em uma escala menor", afirmou. lembrando que nos Estados que têm impostos menores a sonegação também é menor.

Redação Portal Linhares Em Dia


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Se achar algo que viole os TERMOS DE USO, denuncie. Leia as PERGUNTAS MAIS FREQUENTES para saber o que é impróprio ou ilegal. 

Siga-nos no FacebookTwitter e YouTube.

Convidamos você a fazer parte dos nossos canais nas redes sociais e navegar pelo nosso Portal de notícias Linhares Em Dia.