25Junho2019

NOTÍCIAS GERAL Aderes antecipa Semana do Artesão e lança projeto "Artesanato pela Paz"

farmacias-de-plantao

Aderes antecipa Semana do Artesão e lança projeto "Artesanato pela Paz"

Atualmente, 7.601 pessoas possuem a Carteira de Artesão no Espírito Santo

Aderes-antecipa-Semana-do-Arteso-e-lana-projeto-Artesanato-pela-Paz

Combater a violência por meio da arte. É com esse objetivo que a Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Aderes) lançou na última sexta-feira (15), o projeto "Artesanato da Paz", realizado em parceria com os artesãos capixabas. O evento antecipou as comemorações da Semana do Artesão.

>>  Consumidor poderá usar smartphone para consultar CPF

Por meio do projeto, os artistas vão desenvolver peças com design específico que remetam à paz e ao estado do Espírito Santo. "O artesanato, por suas características próprias, já tem essa grande capacidade de sensibilizar as pessoas. Queremos usar justamente esse potencial de mobilização para desenvolver estratégias de combate à violência", explica o diretor da Aderes, Alberto Farias Gavini Filho.

Gavini explica ainda, que a Aderes vai investir na divulgação do projeto. "Vamos criar um material de divulgação deste trabalho para que, tanto os capixabas quanto aqueles nos visitam tenham conhecimento deste projeto. E a Aderes vai apoiar os artesãos em todas as etapas de desenvolvimento das ações. Queremos ajudar a propagar a cultura da paz em todo o Estado", disse.

>>  Risco de rompimento da barragem do Rio Pequeno obriga Renova a remover famílias

Atualmente, 7.601 pessoas possuem a Carteira de Artesão no Espírito Santo, por meio da qual têm acesso facilitado às políticas públicas para o setor. Os artesãos capixabas estão organizados em cerca de 80 associações, distribuídas pela Grande Vitória e interior do Estado. Além disso, aproximadamente, 15 mil famílias sobrevivem do trabalho desses empreendedores.

Dentre os produtos mais conhecidos produzidos pelos artesãos capixabas destacam-se a panela de barro – que foi o primeiro bem cultural registrado, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como como Patrimônio Imaterial, em 2002 –, e os trabalhos desenvolvidos por meio de conchas e escamas, além da fibra de bananeira.

Redação Portal Linhares Em Dia


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Se achar algo que viole os TERMOS DE USO, denuncie. Leia as PERGUNTAS MAIS FREQUENTES para saber o que é impróprio ou ilegal. 

Siga-nos no FacebookTwitter e YouTube.

Convidamos você a fazer parte dos nossos canais nas redes sociais e navegar pelo nosso Portal de notícias Linhares Em Dia.