MORANDO NA RUA DA CONCEIÇÃO


Morar em uma rua que conta boa parte da história de um município é privilégio de poucos. E os moradores da Rua da Conceição sabem disso. “Isso aqui para mim é tudo”. Esta foi a frase usada por Wallace Guilhermino dos Santos, 59, que nasceu e sempre morou na Rua da Conceição, quando perguntamos a opinião dele sobre a Rua.

E Wallace não é o único morador que tem essa opinião. Dona Jolinda Calmon Machado, 78, que também é “filha da rua”, se orgulha em dizer que mora na Rua da Conceição. “Morar na Rua da Conceição, foi bom e continua bom”, diz.

Dona Jolinda conta ainda que houve um tempo em que a rua ficou deserta, que só tinha moradores, e que aos poucos isso vem mudando. Para ela um dos motivos para o aumento da movimentação na rua, tanto ao dia como à noite, foi a revitalização da Praça 22 de agosto.

Já Gastão Calmon Filho, 60, que assim como Wallace nasceu e sempre morou na Rua da Conceição, afirma que depois que teve início todo esse processo de revitalização muita coisa mudou na rua. Porém, vê com bons olhos.